Cobrança pelo WhatsApp: descubra quais as regras

A princípio, para as empresas falarem com os clientes necessitava de vários recursos. A tecnologia permitiu novas possibilidades.

Empresas tradicionais ainda usam e-mails. Entretanto, as mais modernas optam pelas redes sociais para enviar cupons de desconto, notas fiscais e campanhas de marketing.

Um exemplo disso é o WhatsApp, aplicativo mais popular no Brasil. O sucesso desta rede social está nas funcionalidades.

É possível enviar texto, audiovisual e fazer chamadas de voz e vídeo por ela. Por isso, as empresas adotaram o aplicativo na comunicação com o cliente.

Hoje, ele é uma ferramenta obrigatória para quem quer trabalhar com vendas. Entretanto, muitas pessoas têm dúvidas sobre as regras de uso da rede social.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para você entender melhor como funciona a cobrança pelo WhatsApp. 

O que a lei diz sobre isso?

Em 2013, o Instituto de Defesa do Consumidor(Idec) reconheceu a legalidade nas mensagens de cobrança pelo WhatsApp. Ou seja, não existe nenhuma proibição do uso do aplicativo com tal finalidade. 

Entretanto, existem limitações. É proibido constranger ou ter condutas abusivas com o devedor. Além disso, é importante respeitar as regras do próprio WhatsApp

As vantagens de utilizar o aplicativo para cobranças 

O uso da rede social garante mais praticidade na hora de trocar mensagens. O alcance do aplicativo é um fator decisivo na hora de pensar a estratégia de cobrança.

Desse modo, por meio dele é mais fácil encontrar e falar com os devedores. Além de garantir mais segurança com a criptografia das mensagens. 

Aliás, outra grande vantagem é o custo. Você pode negociar com seus clientes sem a necessidade de nenhum tipo de investimento. 

Por isso, para garantir sucesso no seu processo de cobrança pelo WhatsApp, continue lendo e confira as nossas dicas.

Identifique-se para o seu cliente

É importante estar sempre com o seu próprio perfil atualizado. Desta forma, a foto e o nome da empresa também devem estar visíveis para todos.

Na mensagem inicial, dê detalhes sobre o motivo que o levou a entrar em contato. Entretanto, não forneça nenhum dado pessoal do devedor de imediato. 

Também é essencial verificar se o contato realmente pertence ao cliente. Assim você evita qualquer tipo de transtorno. 

Respeite o horário 

A quantidade de mensagens e o horário delas devem respeitar o Código de Defesa do Consumidor. Do mesmo modo, as leis estaduais que também estabelecem regras para cobrança. 

Opte por falar com os clientes em dias úteis, das 8h até no máximo 20h. Dessa maneira, o ideal é entrar em contato sempre no horário comercial. 

Não envie mensagens para o devedor várias vezes por dia. Portanto, dê um prazo entre uma mensagem e outra. 

Converse naturalmente

Você não precisa ser formal durante o processo de cobrança. Uma comunicação mais leve pode facilitar na negociação.

Entretanto, seja cuidadoso e detalhista, esclareça todas as dúvidas do seu cliente. Seja transparente. 

Mantenha sempre o diálogo e não deixe de responder o seu consumidor. Sendo assim, evite utilizar gírias ou emojis em excesso. 

Tenha tudo documentado

Não inicie a conversa despreparado. Por isso, organize todos os documentos relacionados à situação do seu cliente. 

Aliás, não se esqueça de arquivar a conversa. Ela serve como prova de existência da dívida e também do pagamento.

Esteja disposto a negociar

Fale sobre a inadimplência e ofereça alternativas. Defina uma data para pagamento que seja confortável para ambas as partes. 

Se for possível, ofereça um parcelamento da dívida. Deste modo, você gera mais tranquilidade para o seu cliente.

Garanta mais praticidade 

Para facilitar nas cobranças e negociações, utilize uma plataforma com um sistema de pagamento

A Poli tem a ferramenta perfeita para quem deseja reduzir a inadimplência dos seus clientes. Entre em contato com um de nossos consultores e faça um teste grátis. 

Olá 👋
Como podemos ajudar você?